Este é o link do meu livro: Sol Mar Mel, Fragmentos da Vida no CREATESPACE. Você ja pode comprá-lo. Também no AMAZON.COM,BR e no KINDLE (leitor eletrônico) Lembrando que no AMAZON e no KINDLE está disponível em todos os países. http://www.amazon.com/Sol-Mar-Fragmentos-Vida-Portuguese/dp/1508621047/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1424972270&sr=1-1&keywords=Sol+Mar+Mel+Fragmentos+da+Vida


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OS BEBÊS MAIAS

Os Maias, ainda hoje nos intriga com a sua misteriosa extinção.
Uma cultura muita rica... Conhecimento muito avançado na astronomia... Esse povo tinha vários clãs. Guerras e mais guerras foram travadas em busca de riquezas, status e poder.
Foram encontrados os últimos reis deste povo, mortos. Assinados! Os súditos estavam horrorizados! Todos da família real estavam mortos! A realeza tinha muitos inimigos. Os súditos, tinham que trabalhar muito para pagar os altos e absurdos impostos. O povo ja não aguentava mais! Também haviam os rituais de sacrifícios. O rei, com muita frequência, concedia um sacrifício humano aos deuses para que seu reinado continuasse forte e poderoso. O povo ja estava farto de tantos sacrifícios humanos! E por causa disso, toda a família real foi assassinada!
A partir daí, os últimos Maias tiveram finalmente a tão sonhada liberdade. Mas as coisas não estavam tão boas. Uma seca começou a dificultar ainda mais a vida desse povo. Mas mesmo assim, o restante dos maias, tentavam sobreviver. Não existia mais reinados, estavam livres e ao mesmo tempo... Preocupados. Estava chegando o décimo Katun (900 d.c.) que previa a sua total extinção! O fim do mundo! Nada sobreviveria quando chegasse o décimo katun! Até então, tudo previsto antes, tinha acontecido. Eles sabiam que não iriam sobreviver!
Faziam mais sacrifícios humanos em oferenda aos deuses, mas não adiantava! Não passariam do décimo Katun!
Alguns mais rebeldes desafiavam os conservadores dizendo que o mundo não acabaria no décimo katun. Diziam que existia o décimo primeiro Katun. Se existia outro Katun, supunham-se que o mundo não acabaria no Katun anterior! Supunham que o calendário continuaria. Se o calendário continua... Significa que o mundo não acabaria! Ninguém tinha visto o pergaminho com o décimo primeiro katun. Eram só especulações. E mais, era uma ofença duvidar das sagradas leis Maias! Podia-se ser condenado a morte por tais comentários! Por isso, os incrédulos e rebeldes , se calavam mesmo discordando.
Aproxima-se a tão terrível data. O DÉCIMO KATUN. Todos estão apreensivos! Os MAIAS, os últimos Maias, fazem os últimos preparativos para o fim de sua raça! O fim do mundo como previa a profecia sagrada maia! Os mais conservadores, ja tinham decidido que iriam morrer com honra. E decisões foram tomadas! Decidiram que iriam morrer um dia antes do fim do mundo. Seria... Um Suicídio COLETIVO! Assim ninguém sofreria, segundo seus líderes.Todos tomariam um poção de veneno. Diziam que era uma morte suave.
No penúltimo dia, uma mãe, inconformada com a decisão, invoca todas as outras mães com bebês de colo. Eram muitos bebês! A mãe rebelde não queria que os bebês morressem, apesar de a lei ser clara: Todos teriam que cometer suicídio coletivo! E contrariando a tradição, as mães fizeram um pacto.

Faltam poucas horas para o décimo katum. O fim do mundo, segundo o calendário Maia.Todos se reuniram em volta de um grande buraco feito embaixo de um dos monumentos Maias. Essa enorme sepultura coletiva, foi feita ao longo dos anos. A grande sepultura estava enfeitada com todas os tipos de flores! Pedras preciosas, Conchas, objetos pessoais, Cordões, penas sagradas. Cada canto estava cheio de adereços! Haviam umas grades de madeira que imitavam gavetas.Cabiam várias pessoas em pequeno espaço.
Todos cantavam em volta da grande sepultura. Mães choravam segurando seus bebês envolvidos em folhas de bananeira. Segundo a tradição, os bebês seriam mortos antes. As mulheres ficariam em um salão separado.
Tomariam gotas de veneno e seriam embrulhados em folhas frescas de bananeira. E deveriam ficar ao lado das respectivas mães.
Todos os Maias estavam com uma caneca na mão, se despediram e tomaram o mortal veneno. Posicionaram-se no chão, e aos poucos... Gemidos e delírios fazem parte daquele cenário.
E assim... Assistimos a suposta extinção da poderosa nação MAIA!
Dias mais tarde, numa aldeia de índios selvagens, encontram-se muitos bebês! Estavam no rio, dentro de várias canoas amarradas umas as outras. Estavam bem protegidas. Eram os bebês maias! As mães salvaram os bebês! O que tinham nas mãos na hora do suicídio, eram apenas folhas de bananeiras!

Os Maias não foram extintos!

(O início da historia foi pesquisado e é verdadeiro. O resto...é ficticio)


Escrito por Heliomar Melo

2 comentários:

  1. Sem palavras!!!
    Voce sabe o quanto gosto de seus escritos.
    Portanto, sempre que posso dou uma passadinha aqui para ler as maravilhas que voce escreve.
    Abraços meu querido Heliomar. Heudes.

    ResponderExcluir
  2. Sempre um grande prazer!!! Um grande abraco querida Heudes!!

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo! Sou Heliomar Melo

Minha foto
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Escrevo com a emocao e com o coracao. Bem Vindo a Minha Mente!!