Este é o link do meu livro: Sol Mar Mel, Fragmentos da Vida no CREATESPACE. Você ja pode comprá-lo. Também no AMAZON.COM,BR e no KINDLE (leitor eletrônico) Lembrando que no AMAZON e no KINDLE está disponível em todos os países. http://www.amazon.com/Sol-Mar-Fragmentos-Vida-Portuguese/dp/1508621047/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1424972270&sr=1-1&keywords=Sol+Mar+Mel+Fragmentos+da+Vida


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

UM FEITIÇO E DOIS DESTINOS

Ha um tempo atrás... Numa pequena cidade do interior do Brasil...Um homem batia muito na sua esposa. As agressões eram contínuas. Ninguém se metia. Diziam que não se metiam em briga de marido e mulher. O tempo todo aquele a ameaçava com uma faca. Sempre a ameaçava com a mesma faca! Ele falava: se ela o abandonasse, ele a mataria! E aquela faca era o temor daquela mulher sofrida. Ela até tentou afastar-se dele, mas ele a encontrou. Ela não tinha parentes. Seus pais morreram quando ela ainda era criança . Aquela pobre não tinha a quem recorrer. Ficava a mercê do malvado marido.
Certa vez, Flora foi arrastada pelos cabelos na rua! Todos presenciaram aquela cena, mas ninguém se metia! O homem era muito bravo! A fama dele corria longe! Todos o temiam! Diziam as más línguas que ele já havia matado muitas pessoas! Ninguém sabe se era verdade ou não. Mas era a fama dele na região. Jonas era seu nome. Flora, a esposa, tentou pedir ajuda da policia mas não conseguiu. O machismo fazia parte daquela época. Bem diferente de hoje em dia.
Cansada de ser humilhada, Flora toma uma decisão. Vai procurar uma feiticeira muito conhecida na região. Afinal, ela já havia tentado os meios convencionais e nada dava certo.
A feiticeira morava num povoado não muito distante. Flora andou muito até chegar a casa da tal feiticeira. Um lugar praticamente deserto. As poucas casas estavam em ruínas. Exausta, Flora chega na tal casa com a aparência que dava arrepios. Bate na porta e uma senhora de cabelos brancos e muito malvestida a recebe. Com uma voz rouca, a velha chamou Flora para entrar e sentar. Enquanto a velha se retirou da sala... Flora analisava tudo a sua volta. Tudo ali era muito antigo. Minutos depois, a velha feiticeira entra na sala, prepara a mesa com objetos de magia negra... E inicia-se a sessão. Flora conta toda sua história. E em seguida pede a aquela senhora que faça um feitiço para neutralizar seu malvado marido. Combinaram o preço... Flora pagou... E logo a bruxa invocou seu espírito do mal. Quando a entidade veio, ela ja disse logo que o feitiço tinha um preço. Mas Flora não deu atenção, já havia pagado pelo serviço. A entidade explicou o que teria que ser feito. A faca que tanto a ameaçava devia ser enterrada. E que naquele momento, ele o agressor, nunca mais iria agredi - la novamente. (Flora já tinha lhe falado sobre a faca. A temida faca)
....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... onfessou lhe a verdade. Falou sobre a faca. Disse também que não podem desenterra a faca senão eles morreriam. A faca não poderia ser desenterrada de propósito. Essas eram as instruções da bruxa. Caso Flora pedisse alguém para desenterrar a Escrito por Heliomar Melo

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

IMPLOSĀO DE ESTRELAS

Uma tempestade não expressa o que sinto agora. Meu coração esta despedaçado. Estrelas implodem dentro do meu peito deixando o mesmo vazio de um buraco negro após a implosão de uma estrela.
Meu nome é Maria . Sou... lésbica. Estava tudo bem na minha vida. Após muito sofrimento para aceitar minha sexualidade, finalmente eu podia ser eu mesma! Não precisava mais manter a aparência para minha família, igrejas e amigos. A chuva de pedras ... Cessou. Eu estava feliz. Havia Encontrado minha amada. Ela me fazia tão bem... Ela era linda! Seus cabelos negros me deixava louca!! Enquanto ela se maquiava, eu ficava de longe observando e ao mesmo me perguntando se aquela linda garota era realmente minha, minha amada! Eu precisava mais dela que o ar que respiro! Lembro muito bem de quando íamos ao sitio de um amigo.Corríamos por entre as árvores... Jogávamos folhas secas uma na outra... Colocávamos folhas de bananeiras na grama para dormirmos ao ar livre. Enquanto nos aliviava do intenso calor do verão carioca, admirávamos as estrelas... Naquele momento não existia mais nada no mundo! Apenas eu e ela! Como eu era feliz!!
Certo dia ela... Faleceu. A perdí! Perdí meu amor! Me senti uma minúscula pluma voando ao vento sem direção. Foi tão difícil viver sem ela... Ela Faleceu de ... AIDS.E claro, eu também havia contraído o vírus da AIDS. Ela usava drogas injetáveis, foi dessa maneira que ela e eu fomos infectadas. Eu usei umas 2 vezes com ela. Compartilhamos a mesma agulha.Ela não sabia que tinha o vírus hiv, se soubesse, se avisaria. Eu tenho certeza disso! Ela me amava muito. Nunca mais usei drogas.
Enfrentei todos os problemas com o tratamento e estou mais viva do que nunca! Sei que agüentarei até inventarem uma vacina.
Passei 10 anos da minha vida esperando a morte. Morrí muitas vezes!Morri tantas vezes que... Cansei de esperar a morte! Decidí que viveria FELIZ e intensamente! Minha força se compara a um vulcão em plena atividade! Sou extremamente de BEM com a vida! Faço planos para futuro...
Juntei todos os meus trapos, peguei minhas economias, alguns amigos me emprestaram dinheiro e aqui estou eu, nos Estados Unidos!
Vivo numa comunidade de brasileiros muito grande. Noticias espalham como um rastro de pólvora! Viram meus medicamentos. Meu segredo acabou sendo conhecido por quase todos. Eu sempre soube que eles sabiam do meu segredo,mas fingia que não sabiam. Nesse meio tempo fiz muitos amigos. Eles me agradavam, eles sempre me procuravam solicitando meu trabalho. Estava indo bem. Mas... Como tem muitos religiosos aqui, eu sempre ouvia insinuações sobre minha sexualidade. Isso me incomodava. A principio ignorei, mas... Foi intensificando... Comecei a questionar o motivo de todo aquele preconceito. Eu dizia que Deus nao aprovaria que maltratassem, discriminassem o ser humano.Eu dizia que Deus jamais faria alguem sofrer. Que Deus jamais pediria para desaprovarem alguem por ser diferente. Questionei as passagens biblicas contra os gays,lesbicas.. etc. Disse que Deus nao escreveu nada daquilo. Homens maliciosos escreveram. E como um rastilho de pólvora ..... Algumas pessoas ficaram irritadas e a noticia se espalhou! Todos agora sabiam que eu era agnóstica!(agnostica-so acredita em Deus) Lésbica, agnóstica e soropositiva! Que bomba!
Por ser agnóstica e comentar sobre isso, fui transformada em ... A indesejada; a incômoda; a possuída; o demônio em pessoa! Os clientes... Foram sumindo.... Os sorrisos... Agora eram contidos.
Não discrimino ninguém. Acho que todos podemos viver harmoniosamente. Eu valorizo o ser humano! Tenho muito carinho por evangélicos, católicos, ateus, agnósticos, espíritas, budistas,etc. Se você esta feliz... Eu também estarei feliz!
........................................................................................................................................................................................................................................................................................................ Alguns humanos... Ainda tem muito que evoluir.

( Historia fictícia,qualquer semelhança é mera coincidência. Tudo aqui é fruto da minha imaginação. Gosto de encarnar personagens femininos porque a mulher é mais emotiva,sempre se tem bons resultados. Narrativas na primeira pessoa também fica interessante. Parece real. Foi .. EXTREMAMENTE “ difícil” viver a Maria. Sofrí muito! Grande abraço a todos! )

Escrito por Heliomar Melo

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OS BEBÊS MAIAS

Os Maias, ainda hoje nos intriga com a sua misteriosa extinção.
Uma cultura muita rica... Conhecimento muito avançado na astronomia... Esse povo tinha vários clãs. Guerras e mais guerras foram travadas em busca de riquezas, status e poder.
Foram encontrados os últimos reis deste povo, mortos. Assinados! Os súditos estavam horrorizados! Todos da família real estavam mortos! A realeza tinha muitos inimigos. Os súditos, tinham que trabalhar muito para pagar os altos e absurdos impostos. O povo ja não aguentava mais! Também haviam os rituais de sacrifícios. O rei, com muita frequência, concedia um sacrifício humano aos deuses para que seu reinado continuasse forte e poderoso. O povo ja estava farto de tantos sacrifícios humanos! E por causa disso, toda a família real foi assassinada!
A partir daí, os últimos Maias tiveram finalmente a tão sonhada liberdade. Mas as coisas não estavam tão boas. Uma seca começou a dificultar ainda mais a vida desse povo. Mas mesmo assim, o restante dos maias, tentavam sobreviver. Não existia mais reinados, estavam livres e ao mesmo tempo... Preocupados. Estava chegando o décimo Katun (900 d.c.) que previa a sua total extinção! O fim do mundo! Nada sobreviveria quando chegasse o décimo katun! Até então, tudo previsto antes, tinha acontecido. Eles sabiam que não iriam sobreviver!
Faziam mais sacrifícios humanos em oferenda aos deuses, mas não adiantava! Não passariam do décimo Katun!
Alguns mais rebeldes desafiavam os conservadores dizendo que o mundo não acabaria no décimo katun. Diziam que existia o décimo primeiro Katun. Se existia outro Katun, supunham-se que o mundo não acabaria no Katun anterior! Supunham que o calendário continuaria. Se o calendário continua... Significa que o mundo não acabaria! Ninguém tinha visto o pergaminho com o décimo primeiro katun. Eram só especulações. E mais, era uma ofença duvidar das sagradas leis Maias! Podia-se ser condenado a morte por tais comentários! Por isso, os incrédulos e rebeldes , se calavam mesmo discordando.
Aproxima-se a tão terrível data. O DÉCIMO KATUN. Todos estão apreensivos! Os MAIAS, os últimos Maias, fazem os últimos preparativos para o fim de sua raça! O fim do mundo como previa a profecia sagrada maia! Os mais conservadores, ja tinham decidido que iriam morrer com honra. E decisões foram tomadas! Decidiram que iriam morrer um dia antes do fim do mundo. Seria... Um Suicídio COLETIVO! Assim ninguém sofreria, segundo seus líderes.Todos tomariam um poção de veneno. Diziam que era uma morte suave.
No penúltimo dia, uma mãe, inconformada com a decisão, invoca todas as outras mães com bebês de colo. Eram muitos bebês! A mãe rebelde não queria que os bebês morressem, apesar de a lei ser clara: Todos teriam que cometer suicídio coletivo! E contrariando a tradição, as mães fizeram um pacto.

Faltam poucas horas para o décimo katum. O fim do mundo, segundo o calendário Maia.Todos se reuniram em volta de um grande buraco feito embaixo de um dos monumentos Maias. Essa enorme sepultura coletiva, foi feita ao longo dos anos. A grande sepultura estava enfeitada com todas os tipos de flores! Pedras preciosas, Conchas, objetos pessoais, Cordões, penas sagradas. Cada canto estava cheio de adereços! Haviam umas grades de madeira que imitavam gavetas.Cabiam várias pessoas em pequeno espaço.
Todos cantavam em volta da grande sepultura. Mães choravam segurando seus bebês envolvidos em folhas de bananeira. Segundo a tradição, os bebês seriam mortos antes. As mulheres ficariam em um salão separado.
Tomariam gotas de veneno e seriam embrulhados em folhas frescas de bananeira. E deveriam ficar ao lado das respectivas mães.
Todos os Maias estavam com uma caneca na mão, se despediram e tomaram o mortal veneno. Posicionaram-se no chão, e aos poucos... Gemidos e delírios fazem parte daquele cenário.
E assim... Assistimos a suposta extinção da poderosa nação MAIA!
Dias mais tarde, numa aldeia de índios selvagens, encontram-se muitos bebês! Estavam no rio, dentro de várias canoas amarradas umas as outras. Estavam bem protegidas. Eram os bebês maias! As mães salvaram os bebês! O que tinham nas mãos na hora do suicídio, eram apenas folhas de bananeiras!

Os Maias não foram extintos!

(O início da historia foi pesquisado e é verdadeiro. O resto...é ficticio)


Escrito por Heliomar Melo
Minha foto
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Escrevo com a emocao e com o coracao. Bem Vindo a Minha Mente!!